4 de agosto de 2013

[Resenha] Flat out love & Flat out Matt - Jessica Park

He was tall, at least six feet, with dirty blond hair that hung over his eyes. His T-shirt read Nietzsche Is My Homeboy.

So, that was Matt. Who Julie Seagle likes. A lot. But there is also Finn. Who she flat out loves. Complicated? Awkward? Completely.

But really, how was this freshly-minted Boston transplant and newbie college freshman supposed to know that she would end up living with the family of an old friend of her mother's? This was all supposed to be temporary. Julie wasn't supposed to be important to the Watkins family, or to fall in love with one of the brothers. Especially the one she's never quite met. But what does that really matter? Finn gets her, like no one ever has before. They have connection.

But here's the thing about love, in all its twisty, bumpy permutations—it always throws you a few curves. And no one ever escapes unscathed..



RESENHA

Após um início difícil em Boston, Julie se muda para a casa da família Watkins, conhecidos de sua mãe, logo ela percebe que há algo de curioso com a família, principalmente com Celeste, irmã mais nova, existe um mistério que faz com que todos a protejam e não questionem a natureza de “Flat Flinn”.

Julie não esperava se apegar tanto a família, e o que era para ser uma estadia provisória acaba tornando-se permanente, Flinn, irmão mais velho está viajando o mundo fazendo trabalhos voluntários, Matt, irmão do meio cursa duas faculdades ao mesmo tempo, ele é muito inteligente, nerd, ama e cuida de sua irmã mais nova, Celeste que criou um boneco de papelão com a imagem de seu irmão mais velho (Flinn) para poder lidar com a saudade e a distância.

Todos os membros da família são emocionalmente desequilibrados e de certa forma é justamente isso que ainda os mantém unidos. Celeste e Julie desenvolvem uma bonita amizade que faz com que Celeste vá amadurecendo ao desenrolar da história.

Celeste, mesmo sem ser a personagem principal, rouba a cena durante boa parte do livro, seu sofrimento é verdadeiro, e pela a escrita de Jessica Park é impossível não se emocionar com a personagem e com sua evolução ao longo da narrativa.

Julie pressed the knife into Flat Finn’s waistline and etched a cut across the width. “Start talking, Celeste!” She began to retrace the line, sinking the blade deeper into the cardboard. 

“This is a great day to increase limberness!” Celeste yelled unconvincingly. “Think of all of the things you will be able to achieve, Flat Finn!” “He’s doing great. Keep going,” Julie encouraged.

“Um… It was stupid Julie’s idea, and so you will hold her responsible if this surgery ends in tragedy!” “Very funny. Try again. Tell him that this is an important and necessary step in his development. That he will thank you for helping him fit in with others. This is a challenging time, but you are here for him and will get him through this.” 
Julie, Flinn e Matt também se tornam amigos, mas Julie não consegue evitar se envolver com Flinn, mesmo sem conhecê-lo pessoalmente. Suas trocas de mensagens são apaixonantes e a amizade vai se transformando em amor.

Flat out Love narra a história da família Watkins, da tragédia que aconteceu com a família e como Julie, mesmo sem ter a pretensão, os resgata. Para que todos possam lidar a realidade é necessário que Julie saiba de toda a verdade o que a afetará profundamente.

Flat out Matt é a história contata brevemente pelo ponto do vista de Matt, com a adição de dois capítulos ao final da história, o que não modifica o desfecho original. No início do livro Matt narra com detalhes a sua relação com seus irmãos e os motivos que levaram a família a ser tão desequilibrada emocionalmente.

Mais uma vez Jessica Park aborda temas difíceis de forma inteligente, com diálogos bem humorados e com uma escrita envolvente. Impossível não de apaixonar por Julie, Celeste, Flinn, Flat Flin e Matt!

Nenhum comentário:

Postar um comentário